domingo, 20 de agosto de 2017

Artigo de Públio José

OS PRÍNCIPES QUE VIRAM SAÚVA 
                                                               
Públio José
Jornalista

       
As lendas, os contos infantis e as histórias de carochinha nos dão conta de Príncipes que viram sapo, passarinho, cachorro e outros tipos de animais. Mas no Brasil – ah, que país fantástico! – os Príncipes há muito tempo estão virando saúva. É, saúva, aquela formiga grande, que na década de 50 gerou um verdadeiro clamor nacional a favor da sua extinção (lembram-se do slogan “Ou o Brasil acaba com a saúva, ou a saúva acaba com o Brasil?”). Naquele tempo a frente de batalha fora aberta contra o pequeno animal em função da sua incontrolável capacidade de destruir tudo que encontrasse pela frente. Dotada de presas de uma eficiência extraordinária, a saúva assustou o meio rural brasileiro, ainda carente de modernas tecnologias necessárias ao combate das pragas no campo, pelos enormes prejuízos que causava com a sua fome desmesurada. Milho, café, e outras preciosas culturas, sucumbiam diante da poderosa formiga.

        Com o passar do tempo, os problemas criados pela saúva foram tomando uma dimensão administrável, novas tecnologias foram surgindo, seu combate foi ficando a cada dia mais eficaz – e ela deixou de ser o bicho-papão que se prenunciava. Mas ao se retirar do palco das emoções nacionais, a saúva deixou um herdeiro muito mais poderoso: o mau político, o tal do homem público corrompido. São os Príncipes de que nos fala Maquiavel. Para efeito externo parecem perfeitos. Bem vestidos, bem arrumados, falantes, envolventes. Interiormente, entretanto, deixam muito a desejar. Têm funções de comando, influenciam, administram muito dinheiro e, em todo momento, mexem com a vida de milhares e milhares de pessoas. Segundo a Bíblia são instituídos por Deus para exercer autoridade. Deveriam, como se vê, encarnar o papel de Príncipes tanto do ponto de vista político como no tocante ao espiritual. Mas nem sempre é assim...
        A diferença visual entre o Príncipe e a saúva é gritante.         Moralmente a diferença deveria permanecer. Mas tem muito Príncipe trocando o caráter e as vestes de Príncipe, talares, solenes, majestáticas, espiritualmente abençoadas, pela vestimenta obscura, fétida, e moralmente desprezível da saúva. O Príncipe foi entronizado para edificar, construir, solidificar, consolidar, fortalecer. A saúva só existe para prejudicar, danificar, impedir, trabalhando tão somente em função de si mesma. À saúva pouco importa o que acontece quando, através de suas presas afiadas, põe abaixo a folha que dá sustentação ao fruto. A ela pouco importa se seu gesto vai gerar a fome ou a escassez de provisão para alguém. Ela quer cortar, se locupletar, cuidar do que é seu, levar suas vantagens. Quando um Príncipe vira saúva o estrago que causa à sociedade é enorme. De construtor passa a predador – e muitos sofrem em função dessa mudança.
                                   
       Ah! Ia esquecendo de ressaltar a questão do cheiro. O Príncipe usa os melhores perfumes, as essências mais refinadas. Sua aparência exterior tem de estar em dia com os manuais da moda, da etiqueta, do social. O perfume que exala é muito importante para causar boa impressão. Já a saúva... Tem o cheiro do subterrâneo, do porão, de lugares escondidos, mal cheirosos, putrefatos. As obras do Príncipe são idealizadas à luz do sol e concretizadas para o bem comum. As obras da saúva se escondem da luz. Tudo que corta e carrega é levado para as sombras – para uso exclusivamente seu. Mas o destino é cruel com a saúva. Ela nunca deixará de ser saúva. Inclusive de ter as suas péssimas qualidades. Já o Príncipe tem retorno. Pode largar o cheiro, o odor, as vestes e o caráter da saúva e voltar a brilhar, a resplandecer na postura física, moral e espiritual de Príncipe. É só querer. Será que quer?

sábado, 19 de agosto de 2017

Música clássica num teclado opcional.Show imperdível!

Dom Jaime remaneja cinco sacerdotes

Atos assinados pelo arcebispo dom Jaime Vierira Rocha remaneja sacerdotes - informa o portal da Arquidiocese:
1 - Padre Inácio Lopes Filho deixa a função de pároco da Paróquia de Santana, em Santana do Matos, para assumir a função de vigário paroquial na Paróquia de Santa Maria Mãe, no Conjunto Santa Catarina, em Natal.
2 - Padre Francisco Clodoaldo Leitão de Farias sai da Paróquia de Nossa Senhora das Graças, em Afonso Bezerra, para ser pároco na Paróquia de Santana, em Santana do Matos.
3 - Padre Antônio Marinho da Silva Neto, até então vigário paroquial da Paróquia de Santa Rita de Cássia, em Santa Cruz, assumirá a função de administrador da Paróquia de Nossa Senhora das Graças, em Afonso Bezerra.
4 - Padre Lenilson Silva das Chagas sai da Paróquia da Imaculada Conceição, em Lagoa Salgada, para ser o novo pároco da Paróquia de Santa Teresinha, em Tangará.
5 - Padre João Batista de Lima foi transferido da Paróquia de Santa Teresinha, em Tangará, para a função  de pároco da Paróquia da Imaculada Conceição, em Lagoa Salgada.

Veja aqui a entrevista do Des. Cláudio Santos na TV Câmara Natal

Artigo de Paulo Afonso Linhares

TIRO NO PÉ

Paulo Afonso Linhares

Alguns dos monstrengos jurídicos que mais precarizam direitos fundamentais são crias da malsã ideologia do politicamente correto. Sem descer a outros exemplos polêmicos, que excederiam em muito o limitado espaço reservado a esta reflexão singela, tudo para evitar a preconceituosa acusação de estar a produzir as tais “braguilhas de padres”, aqueles longos, chatos e não menos repudiados escritos pelos antigos editores de jornais e elevados à categoria de verdadeiros delitos nos padrões das poderosas “redes sociais”. Agora é tout court, sem miçangas ou bijuterias literárias.
Pois é, o idiota credo do ‘politicamente correto’, no Congresso Nacional e fora dele, tanto repudiou o financiamento de campanhas políticas e candidatos por pessoas jurídicas - que, aliás, se mostraram como difíceis de controlar num país de larga tradição paternalista, como o Brasil - que findou grafando na lei uma peremptória proibição disto que, na democracias ocidentais, é plenamente aceitável, porém, segundo rígido receituário ético-jurídico. Nos EUA, uma empresa que acredita no ideário republicano, pode investir razoáveis somas nas campanhas políticas dos candidatos republicanos. Tudo rigorosamente aferido segundo as leis eleitorais e tributárias vigentes. O melhor de tudo é que o financiamento de campanhas políticas e candidatos termina como algo ínsito ao sistema e não contra ele.
Cavalgando o vicioso “modus” brasileiro, “todo mundo quer ser candidato, desde que alguém banque”. Só que, pela legislação atual, estão proibidas as resmunguentas doações de campanha. Com base nessa premissa, deputados federais cogitam na criação de um fundo público para financiamento de campanhas eleitorais no elevado valor de R$ 3,6 bilhões, a ‘alternativa’ às doações de pessoas jurídicas, atualmente proibidas. O primeiro obstáculo a ser enfrentado é financeiro, levando-se em conta a gravíssima crise fiscal por que passa o Estado brasileiro e que projeta para os próximos três anos um monumental déficit da ordem de meio trilhão de reais somente no âmbito da União. 
O modo de distribuição desses recursos entre partidos políticos e candidatos certamente ensejaria muitas mutretas, a exemplo do que ocorre hoje com o Fundo Partidário (Fundo Especial de Assistência Financeira aos Partidos Políticos): alguns ‘donos’ de partidos políticos vivem como marajá à conta dos repasses duodecimais - a cota anual de cada partido é dividida em 12 partes iguais e disponibilizadas mensalmente - destinados às agremiações partidárias sob responsabilidade do Tribunal Superior Eleitoral que, nos termos da legislação vigente, destina 5% dos recursos anuais do Fundo Partidário a todos os partidos políticos registrados e os 95% são distribuídos entre os partidos de acordo com o número de votos recebidos nas eleições para a Câmara dos Deputados (artigo 41-A, da Lei nº 9.096/1995, com a modificação da Lei nº 11.459/2007). Previsto no artigo 17, §3º, da Constituição Federal, esse Fundo é constituído pelas dotações orçamentárias da União, multas e penalidades pecuniárias aplicadas pela Justiça Eleitoral, além de doações de pessoas físicas e jurídicas e por outros recursos financeiros que lhe forem atribuídos por lei. 
Em 2017, o valor em orçamento do Fundo Partidário é de R$ 819 milhões. Os dez partidos que mais recebem esses recursos são PT, PMDB, PSDB, DEM, PP, PSB, PDT, PTB, PR e PPS, além dos 27 outros que, em sua maioria, são chamados “nanicos”, mas, igualmente participam dessa festança bancada pelos contribuintes. A proposta aprovada na comissão da reforma política da Câmara dos Deputados vai ‘turbinar’ o já vultoso Fundo Partidário e, claro, ampliar em muito os casos de corrupção. Assim, as perspectivas são sombrias quanto a essa forma de financiamento de campanhas eleitorais e partidos políticos, a ponto que levará certamente à conclusão de que menos danoso seria manter o sistema anterior das doações de pessoas jurídicas, desde que construídos mecanismos eficientes de controle dessas atividades, como ocorre nas maiores democracias do mundo. 
Aliás, o financiamento público de partidos políticos e campanhas eleitorais projeta uma contradição enorme que atinge a própria concepção associativista dessas instituições, segundo previsto no §2º do artigo 17 da Constituição da República (“Os partidos políticos, após adquirirem personalidade jurídica, na forma da lei civil, registrarão seus estatutos no Tribunal Superior Eleitoral”). Ora, a despeito ser o partido político uma pessoa jurídica privada, será inevitável que se torne genuíno órgão público se mantido basicamente por verbas estatais, o que não deixa de ser um enorme retrocesso. Claro, se recebe dinheiro público deve, obrigatoriamente, ser fiscalizado pelos órgãos de controle. E não poderia ser diferente.
Certo é que a reação desencadeada pela proposta de aumento exponencial do Fundo Partidário poderá impor um recuo na votação desse ponto da reforma política na Câmara dos Deputados. Talvez até nem haja tempo de se construir um novo modelo de financiamento de campanha até às eleições de 2018 que, por isso mesmo, serão atípicas pela escassez do dinheiro que tradicionalmente azeitava as máquinas partidárias e pode possibilitar uma inédita renovação política nos diversos níveis. 
O nivelamento por baixo - todos os candidatos com pouco ou nenhum dinheiro - certamente vai encorajar muitas candidaturas mais legítimas e autênticas, com inegáveis ganhos para o processo político-eleitoral. Ao revés, adotado que seja o bilionário financiamento público de campanhas eleitorais, nos moldes aprovados pela comissão da reforma eleitoral na Câmara - dinheiro que faltará para o custeio de políticas públicas mais prioritárias nas áreas da saúde, educação, segurança - a tendência é a da manutenção das viciadas e carcomidas estruturas da política tradicional, detentoras que são do controle da mídia e dos partidos políticos. Ao fim e ao cabo, o desejo coletivo de ética na política, de um definitivo basta no abuso do poder econômico e político nas eleições, tão dramaticamente expostos nestes tempos de mensalões e lavajatices de escancaradas delações, terminará como um grotesco e inglório tiro no pé. Culpa destas besteiras politicamente corretas. Arre!

Curso de fotografia com aulas aos sábados. Aproveite!


Flagrantes do lançamento do livro de Terceiro Dantas em Parnamirim

Pastor Gibson, da Sociedade Bíblica do Brasil, no lançamento do Livro a "ÚLTIMA HORA", do jornalista Terceiro  Dantas, noite de sexta-feira, na abertura do 2º Congresso de Missões DEMID/ADPAR, em Parnamirim/RN, organizado por Renielton Fernandes.
O pastor Elinaldo Fernandes, presidente da Assembleia de Deus em Parnamirim também prestigiou o lançamento e foi levar o seu abraço e o seu incentivo ao jornalista Terceiro Dantas.

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Cláudio Santos defende o fim das justiças Eleitoral e do Trabalho

O desembargador Cláudio Santos defende um amplo enxugamento da máquina pública brasileira - incluindo o próprio Poder Judiciário que deve encontrar uma maneira de extinguir as justiças Eleitoral e do Trabalho. 
Essa seria uma das medidas destinadas a reduzir o gasto do dinheiro público para operacionalizar a máquina do Judiciário.
Segundo assinalou, a Justiça Brasileira é uma das mais caras do mundo.
Santos foi entrevistado na noite desta sexta-feira no programa "Pensando bem", conduzido pelo jornalista Joaquim Pinheiro, na TV Câmara Natal.
O programa será reapresentado amanhã, sábado, dia 19, no horário das 20,30 horas.
Cláudio Santos entende que o Poder Público deve dedicar-se a atender àquilo que é básico e fundamental para a população - Segurança, saúde e educação.
Indagado, no âmbito estadual, se defende a privatização da Companhia de Água e Esgotos (Caern) respondeu afirmativamente sem titubear.
Para ele, no momento, a prioridade nº 1 do Estado deve ser o restabelecimento da pontualidade do pagamento. Não, através de empréstimo; mas do enxugamento da máquina e se, necessário, através da venda de ativos.
O desembargador evitou responder se pretende se candidatar ao governo do RN no próximo ano, assinalando entender que a colocação do seu nome como hipotético candidato decorre, especialmente, no trabalho que desenvolveu como secretário de Segurança - na gestão da falecida governadora Wilma de Faria.
Disse que, como secretário se segurança, arranjou o dinheiro em Brasilia, licitou e adquiriu para 600 viaturas para as instituições policiais.
Quando presidente do Tribunal de Justiça, em maio do ano passado, Cláudio Santos disse ter repassado ao Governo do Estado R$ 20 milhões com a finalidade específica de construir um presídio.
- Tomei essa iniciativa porque já sabia que a segurança pública ainda vai piorar muito, se ainda é possível piorar.
E lamentou que, mais de um ano depois, não se tem notícia - sequer - se o governo providenciou o projeto para a construção do referido presídio.
Para ver o vídeo da entrevista, CLIQUE AQUI.

Caricaturas de Túlio Ratto serão expostas na OAB-Natal

As caricaturas do ilustrador, chargista e caricaturista Túlio Ratto estarão em exposição na OAB Natal no próximo dia 24.

Cláudio Santos dá entrevista na TV Câmara-Natal

O desembargador Cláudio Santos é o convidado desta sexta-feira, 18, do programa "Pensando bem", que o jornalista Joaquim Pinheiro conduz toda sexta-feira, às 18 horas, na TV Câmara-Natal.
Pinheiro também me convidou para fazer algumas perguntas. Estarei lá.

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Igreja convoca Jornada de Oração pelo Brasil

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) convida a todos para uma Jornada de Oração pelo Brasil, a ser realizada nas comunidades, paróquias, dioceses e regionais do país, de 1º a 7 de setembro próximo. Os bispos decidiram mobilizar os cristãos, por meio da oração, após a análise da realidade brasileira feita na última reunião do Conselho Episcopal Pastoral da entidade, dias 10 e 11 de agosto.
O Dia de Oração e Jejum sugerido é o dia 7 de setembro, data que marca a Independência do Brasil. Além da carta, enviada a todos os bispos brasileiros, foi enviada também uma oração (confira abaixo), a mesma enviada por ocasião da celebração de Corpus Christi, com uma pequena adaptação na última prece.
Segundo o bispo auxiliar de Brasília e secretário-geral da CNBB, dom Leonardo Steiner, a Jornada de Oração é uma oportunidade para que os cristãos e pessoas de boa vontade que querem um Brasil melhor, mais fraterno e não dividido se unam.



Veja a íntegra da oração:

JORNADA DE ORAÇÃO PELO BRASIL

Semana da Pátria
1º a 07 de setembro de 2017
07 de setembro – dia da Pátria: Vida em primeiro lugar
“A paz é o nome de Deus” (Papa Francisco)


Diante do grave momento vivido 
por nosso país, 
dirijamos nossa oração a Deus, 
pedindo a bênção da paz para o Brasil.

Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!

Vivemos um momento triste, marcado por injustiças e violência. Para construirmos a justiça e a paz, em nosso país, necessitamos muito do vosso amor misericordioso, que nunca se cansa de perdoar.

Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!

Estamos indignados, diante de tanta corrupção e violência que espalham morte e insegurança. Pedimos perdão e conversão. Nós cremos no vosso amor misericordioso que nos ajuda a vencer as causas dos graves problemas do País: injustiça e desigualdade, ambição de poder e ganância, exploração e desprezo pela vida humana.

Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!

Ajudai-nos a construir um país justo e fraterno. Que todos estejamos atentos às necessidades das pessoas mais fragilizadas e indefesas! Que o diálogo e o respeito vençam o ódio e os conflitos! Que as barreiras sejam superadas por meio do encontro e da reconciliação! Que a política esteja, de fato, a serviço da pessoa e da sociedade e não dos interesses pessoais, partidários e de grupos.

Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!

Vosso Filho, Jesus, nos ensinou: “Pedi e recebereis”. Por isso, nós vos pedimos confiantes: fazei que nós, brasileiros e brasileiras, sejamos agentes da paz, iluminados pela Palavra e alimentados pela Eucaristia.

Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!

Vosso filho Jesus está no meio de nós, trazendo-nos esperança e força para caminhar. A comunhão eucarística seja fonte de comunhão fraterna e de paz, em nossas comunidades, nas famílias e nas ruas.

Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!

Neste ano em que celebramos os 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida, queremos seguir o exemplo de Maria, permanecendo unidos a Jesus Cristo, que convosco vive, na unidade do Espírito Santo.

Amém!
(Pai nosso! Ave, Maria! Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo!)

Livro sobre missões evangélicas será lançado em Parnamirim

O livro “A ÚLTIMA HORA! Para a igreja fazer missões", do escritor evangélico Terceiro Dantas, será lançado na próxima sexta-feira, dia 18, na templo sede da Assembleia de Deus, em Parnamirim, às 19 horas, paralelamente, à solenidade de abertura do 2º Congresso e Feira de Missões da ADPAR.
Entre outras lideranças do mundo evangélico, estão confirmadas as presenças do Pastor Elinaldo Renovato, do missionário José Satírio dos Santos (da Colômbia), missionária Samira Santos e Pastor Abdênego Xavier.

APRESENTAÇÃO 
A apresentação do livro é do presidente da Assembleia de Deus em Campina Grande, pastor Daniel Nunes, que assim a inicia:
"A última hora não é um tratado qualquer. Não é algo nascido no campo das especulações teológicas, mas, uma obra de grande valor. Pois o autor passeia, com rara habilidade por temas que aguçam nossa curiosidade histórico-cristã, levando-nos a reflexões profundas sobre a urgência de se fazer missões. E não somente isso: mas nos aponta tanto o caminho certo para a realização da obra mais sublime, que é a pregação do glorioso Evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo, como também, mostra-nos os lugares que mais carece hoje de serem alcançados por essa graça".
Em seguida acrescenta: 
- O Título do livro aguça a atenção de todos os leitores - “A Última Hora”. Pois, vem como um alerta a todos nós, dizendo que não há tempo para perca de tempo. Há também um teor apocalíptico, porém, com destreza, o autor não nos leva por lugares insidiosos e de difícil compreensão, mas, se deleita em esclarecer com precisão os fatos, para que qualquer leitor; seja ele leigo ou não, possa entender o seu conteúdo sem muito esforço. 
O pastor Daniel Nunes prossegue:
- Entendo que todo aquele que ama a obra missionária, e deseja cumprir o Mandamento de Deus, ao ler esse livro, sentirá arder ainda mais forte a chama em seu coração. Quem sabe despertará em outros o desejo pelos campos de missões, e através do mesmo, muitas almas serão salvas, e o Nome do Senhor Jesus será glorificado, pois esse é o principal e maior propósito de tudo o que fazemos. 

VENDAS
O livro vai ser vendido nas livrarias cristãs da Grande Natal. Melhores informações: 9 9619 9848(whatsApp) ao preço de R$ 29,90. Na noite do lançamento haverá um desconto especial e o preço será de apenas R$ 20,00.



Título: A ÙLTIMA HORA
Autor: TERCEIRO DANTAS
Editora: EL-SHADDAY
Edição: 1ª/2017
Páginas: 115
Altura: 21 cm x Largura: 14,8 cm
Miolo: COLORAÇÃO: PRETO E BRANCO (CAPA COLORIDA)
Acabamento: LAMINAÇÃO BRILHO DA 1ª CAPA
Tipo de papel: Offset 90g
Impressão: UNIGRÁFICA

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Secretária de Segurança do RN queixa-se da bancada federal

Entrevistada na TV Ponta Negra nesta terça-feira, a secretária de Segurança do RN, Sheila Freitas, queixou-se dos deputados e senadores do Estado que não usam as emendas orçamentárias a que têm direito, para ajudar a combater a situação de guerra em que vive o Rio Grande do Norte.
- Teve uma deputada que apresentou uma emenda destinada a construir submarino. Tudo bem que a Marinha precisa, mas ela foi eleita para representar o Rio Grande do Norte.
Outra ajuda que os parlamentares federais poderiam oferecer seria na defesa de uma legislação mais dura na punição dos crimes.
- Hoje o preso levado a uma delegacia, se for primário, sai de lá primeiro do que o policial que o levou, pois o policial precisar ficar preenchendo os formulários da burocracia.
Segundo Sheila Freitas, sua pasta está priorizando por esses dias a proteção ao patrimônio, tentando diminuir o número de roubos em residências e assaltos (a automóveis) que só tem feito aumentar nos últimos dias.
CLIQUE AQUI para acessar o vídeo da entrevista da secretária Sheila Freitas com a jornalista Margot Ferreira.
Secretária Sheila Freitas na TV Ponta Negra

Vídeo: Segurança do RN está descontrolada, diz Agripino no Senado

video

Natal, hoje, vive estado de guerra, afirma José Agripino no Senado

O senador José Agripino afirmou hoje, no senado, que o Rio Grande do Norte, a partir de Natal, está vivendo em estado de guerra.
- Ninguém mais tem coragem de sair de casa - proclamou.
Assinalou que vai convidar seus colegas senadores e a bancada na Câmara para irem ao presidente Temer o quanto antes.
A visita é para pedir que a Guarda Nacional tenha uma presença mais efetiva nas ruas de Natal e do interior.

Texto do pronunciamento

Transcrevo a fala do senador José Agripino:

"Senhor presidente:
A onda de violência está hoje como nunca esteve. Em níveis que deixam a sociedade organizada absolutamente em choque.
A situação, senador Eunício, a situação da sociedade potiguar, da capital e do interior, hoje, é de estado de choque. Está em estado de choque. Por que?
Porque o ex-presidente do Tribunal de Contas do Estado - eu ví o video - teve o carro fechado por assaltantes, ao lusco-fusco; os assaltantes tiram o ex-presidente do TCE do carro com os dois filhos, deixam os três sujeitos, à própria sorte, a serem assassinados, por sorte conseguem se livrar - e vão embora. 
Daí a pouco pegam um médico - Airton - e dão um tiro na boca de Airton, um homem de 89 anos de idade, uma referência na medicina potiguar.
E esses exemplos se repetem com desembargadores do Tribunal de Justiça, com médicos, com engenheiros, com pessoas do povo, com todo mundo.
Ninguém mais tem coragem de sair de casa. É espírito de beligerância. Natal, hoje, vive estado de guerra. É uma coisa absolutamente revoltante e inédita. Infelizmente digo: O governo perdeu o controle. O governo do Estado perdeu completamente o controle do dispositivo de segurança. 
Eu vou tomar a iniciativa de convidar os senadores e deputados federais do meu Estado para irmos ao presidente da República pedir a ele a presença ostensiva da Força Nacional, como elemento de sovrevivência. 
Eu nunca vi. Eu fui duas vezes governador, prefeito, e sou senador pelo quarto mandato, eu nunca vi o meu Estado, a minha sociedade, da capital e do interior, tão inquieta com a questão da segurança. As pessoas têm medo de ir e vir. Os assassinatos, os roubos, os arrombamentos são frequentes. É o que funciona o tempo todo, é o que acontece o tempo todo. Perdeu-se o controle e é preciso que a classe política, que as instituições funcionem e ajam.
Estou fazendo essa comunicação do plenário do Senado, de que nós vamos tomar providências - até em apoio ao que o governo do Estado possa vir a fazer, pedindo ao presidente da República, mais uma vez, uma presença mais permanente ou permanente da Força Nacional em benefício da sobrevivência de pessoas e da tranquilidade de uma sociedade que é pacata: A sociedade potiguar - que está inquieta e pedindo socorro.
Muito obrigado a V. Excelência".

CLIQUE AQUI e veja em vídeo o pronunciamento do senador José Agripino.

Brasil só emplaca 6 universidades entre as 500 melhores do mundo

O Brasil emplacou seis universidades no Ranking das 500 melhores do mundo elaborado anualmente pela Consultoria Chinesa Shanghai Ranking Consultance.
As universidades brasileiras que entraram no listão foram a USP - em 151º; a Federal do Rio de Janeiro e a Unesp, empatadas no 301º; a de Campinas e as federais de Minas e do RS, empataram no último grupo, que reúne as universidades classificadas no 401º lugar.
Os cinco primeiros lugares projetam as universidades de Harvard, Standford, Cambridge, Massachusetts Institute of Tecchnology e a California Berkeley.
Segundo reportagem no portal da Época, a Universidade de Harvard encabeça o listão desde a primeira divulgacão em 2003. Portanto, há 15 anos.
Depois - até o 10º lugar vêm: Princeton, Oxford, Columbia, California Institute of Technology e Chicago, de acordo com a reportagem no portal em.com.br
Entre as 100 primeiras do ranking, 48 são dos Estados Unidos. Entre as 500, 135 são dos Estados Unidos, 57 são da China e 38 do Reino Unido - informa reportagem disponível no portal espanhol abc.
Das 500 universidades classificadas, só a primeira colocada, de Harvard, alcançou a marca dos 100 pontos. A segunda (Stanford) ficou com 76,5 pontos; Cambridge, a terceira, marcou 70,9.
As 500 universidades classificadas estão distribuídas por 47 países;

Livro de Terceiro Dantas sobre a última hora para as missões será lançado em Natal

O livro do escritor Terceiro Dantas - "A Última hora! para a igreja fazer missões" - será lançado na próxima sexta-feira, às 19 horas, na sede da ADPAR (Assembleia de Deus, em Parnamirim - templo sede).
O lançamento ocorrerá após a solenidade de abertura do 2º Congresso de Missões, que contará com a presença do missionário José Satírio dos Santos, da Colômbia.

Prefeito atual de Guamaré e 3 antecessores terão que devolver R$ 7,6 milhões

O Tribunal de Contas do Estado (TCE/RN) determinou o ressarcimento de R$ 7,6 milhões ao Município de Guamaré em virtude do pagamento irregular de horas e aulas extras, gratificações a servidores temporários e cessão irregular de servidores.

Foram responsabilizados os ex-prefeitos Mozaniel de Melo Rodrigues (R$ 51.877,86), Auricélio dos Santos Teixeira (R$ 2.167.297,06), Emilson de Borba Cunha (R$ 1.576.723,06) e o atual prefeito Helio Willamy Miranda da Fonseca (R$ 3.881.956,07). Além disso, foi determinada multa no valor de 10% de cada ressarcimento.

Segundo o voto do relator, conselheiro Paulo Roberto Chaves Alves, aprovado pelos demais conselheiros presentes na sessão da Segunda Câmara desta terça-feira (15), devem ser mantidas as medidas cautelares determinadas à Prefeitura de Guamaré no ano passado, as quais não foram cumpridas pelo Município.

Entre elas, estão a proibição de aumento de despesa de pessoal; o redimensionamento do quadro de servidores num prazo de 30 dias; a realização de concurso público num prazo de seis meses; rescisão em 45 dias dos contratos com servidores temporários, com exceção de professores e profissionais da área de saúde; exoneração 42 assessores técnicos para cujos cargos não há previsão legal; processos administrativos para investigar acúmulos de cargos; implementação o “abate-teto” para o subsídio do prefeito; e o fim do pagamento de aulas extras em período de recesso escolar.

O processo tem como base inspeção in loco realizada pela Diretoria de Despesa de Pessoal realizou, em maio de 2015, com foco no quadro funcional e na folha de pagamento da Prefeitura de Guamaré. Foram encontradas várias irregularidades, tais como pagamento irregular de aulas extras, remunerações acima do teto constitucional, número de comissionados acima da previsão legal, contratação temporária sem processo seletivo, acúmulo irregular de cargos públicos, entre outros. 
Texto distribuido pelo TCE.

Arquidiocese de Natal: Faltam dois meses para a Canonização dos Mártires

Daqui a 60 dias acontecerá a canonização dos Mártires de Cunhaú e Uruaçu, os protomártires do Brasil. 
No dia 15 de outubro, às 10 horas (horário de Roma), na Praça de São Pedro, no Vaticano, o Santo Padre, Papa Francisco, canonizará os padres André de Soveral e Ambrósio Francisco Ferro, Mateus Moreira e 27 companheiros leigos. Serão os primeiros santos mártires do Brasil. 
Grupos de padres e leigos já estão se organizando, em caravanas, para ir a Roma, participar da celebração.

Celebrações em ação de graças

Na Arquidiocese de Natal, serão celebradas missas em ação de graças pela canonização, posteriormente. No dia 28 de outubro, às 17h, a celebração será no monumento dos Mártires, na comunidade de Uruaçu, no município de São Gonçalo do Amarante, presidida pelo Cardeal Cláudio Hummes, arcebispo emérito de São Paulo.

No dia 29, às 10h, a celebração será no Santuário dos Mártires, no bairro de Nazaré, em Natal, presidida pelo Núncio Apostólico no Brasil, Dom Giovanni D’Aniello.

No dia 4 de novembro, às 16h, a missa em ação de graças será celebrada na capela de Nossa Senhora das Candeias, na comunidade de Cunhaú, no município de Canguaretama, presidida pelo Arcebispo Metropolitano, Dom Jaime Vieira Rocha.
Texto encaminhado pela Pascom-Natal..

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Avião levará 104 toneladas de cargas Natal-Franckfurt uma vez por semana

Será a partir de setembro - informa reportagem na TN on line.
Hoje, esse vôo dominical é feito por um MD-11, cuja capacidade é de 94 toneladas.
A partir de setembro, o transporte será feito por um boeing 777, cuja capacidade é de 104 toneladas, segundo o diretor de operações da Inframerica, Juan Djedjelan.
Para ler a reportagem completa, CLIQUE AQUI.