quinta-feira, 19 de abril de 2018

Finalmente, uma vaga na UTI para Antônio Belo

Graças a Deus, ontem à noite, foi aberta uma vaga na UTI do Walfredo Gurgel, onde o amigo Antônio Belo passou a ser atendido.
A equipe do Walfredo, por sua dedicação profissional, merece todo aplauso, diante das dificuldades que enfrenta.

terça-feira, 17 de abril de 2018

Geraldo Melo visita Belo no Walfredo e conta como se encontra

Tão logo soube da situação em que Antônio Belo se encontrava - aguardando uma vaga na UTI do Walfredo Gurgel - o ex-governador Geraldo Melo, amigo e cliente de Antônio Belo, correu para o hospital a fim de visitá-lo, se informar e ver no que podia ser útil.
Por coincidência, hoje de manhã Geraldo havia ido so salão de Belo, no Cidade Satélite, e o encontrou fechado. Na realidade o salão está fechado desde a semana passada. 
Saindo do hospital me passou o seguinte quadro:
- Fui vê-lo. Está sonolento, confuso e desorientado! Está colhendo exames para reavaliação laboratorial.
- Vai fazer uma tomografia agora pois a primeira foi normal..
E prosseguiu:
- Estamos tentando uma vaga externa no Hospital Riogrande (antigo Hospital Center). Já está, inclusive com a vaga solicitada.
De acordo com o ex-governador, o caso é realmente grave, por se tratar de uma pessoa idosa com uma infecção de provável foco urinário.
E concluiu:
- Graças a Deus ele está tendo assistência. Muito bem acompanhado pelo dr. Adailton, que também é cliente dele.
Quero registrar também a nota postada no twitter pelo amigo Leonardo Arruda, com o link para a reportagem abaixo e informando:
- Barbeiro Antonio Belo, uma das grandes  referências da Torcida do ABC, em Estado de Saúde Grave, espera por Vaga na UTI no Hospital Walfredo  Gurgel 
CLIQUE AQUI para ler a nota anteriormente postada.

ATENÇÃO CORREÇÃO

Agora de manhã, dia 18, recebi do ex-governador Geraldo Melo um esclarecimento.
As declarações que lhe atribuí no texto acima, na realidade, não são dele, e sim, da médica Ana Lúcia Melo Vilarim, sua prima.
Transcrevo abaixo a correção que me encaminhou:  

[18/4 07:01] Geraldo Melo: 
Amigo Paulo Tarcísio. Deixe-me corrigir uma imprecisão. Tentando ajudar ao nosso amigo Antonio Belo ontem, não fui ao Walfredo pessoalmente. Tudo fiz usando a instantanneidade de comunicação da internet. Usei, no caso, o WhatsApp. Estava de plantão no hospital uma pessoa muito querida, eficiente, solidária, a minha prima médica ANA LÚCIA MELO VILARIM.
[18/4 07:09] Geraldo Melo: 
A minha mensagem de preocupação para o grupo a que ambos pertencemos caiu nas mãos dela. Foi ela quem procurou e encontrou Belo. Foi ela quem lhe deu assistência e me mandou um informe sobre a situação dele. Repassei o informe para você e você pensou que fôsse eu relatando a minha visita e a situação do doente. Mas era Ana Lúcia quem estava informando. 

Por fim, Geraldo Melo fez questão de me transmitir também outra informação da dra. Ana Lúcia a respeito dos cuidados que Antônio Belo está recebendo no Walfredo Gurgel:

- Mérito mesmo é pra Dr. Adailtom, que tem se dedicado ao sr. Belo com muito carinho, coisa que lhe é peculiar.

E aí sim - é o próprio Geraldo Melo que fala: "O Dr. Adailtom era e ainda é cliente de Belo como eu".

Em estado grave, Antônio Belo aguarda vaga na UTI do Walfredo

O amigo Antônio Belo, um dos barbeiros mais conhecidos de Natal, grande torcedor do ABC, encontra-se em estado gravíssimo no Hospital Walfredo Gurgel.
Segundo a esposa dele me disse há pouco, seu quadro é de UTI, mas até o momento não apareceu uma vaga.
Belo foi barbeiro de muita gente importante aqui no Estado - governadores, desembargadores, juizes, políticos em geral.
Está com 80 e poucos anos.
O conheci logo que comecei a trabalhar na antiga Rádio Poti - nos anos 60. 
Ele ia muito lá, a fim de participar dos programas esportivos, sempre defendendo as cores do seu clube de coração - ABC em Natal e Botafogo no Rio de Janeiro.
Fez amizade com quase todos os radialistas da época - Não somente os da Rádio Poti. De todos os prefixos que tinham equipes esportivas. 
Quando não ia, pessoalmente, às rádios, Belo participava por telefone.
Tou dizendo essas coisas, na esperança de que seus antigos clientes possam fazer alguma coisa por ele nesses momentos de dificuldade.
Está no Walfredo à espera de vaga na UTI.

Sucessão de Temer conta com 16 pré-candidatos. Conheça-os

Paulo Victor Chagas
Repórter da Agência Brasil
Colaborou Bruno Bocchini, de São Paulo

A exatos seis meses da eleição presidencial deste ano, pelo menos 16 nomes já se colocaram publicamente na disputa. Os partidos devem anunciar seus pré-candidatos até o início de agosto, quando termina o prazo para cada legenda definir as candidaturas nas convenções.
Dentre os concorrentes ao pleito, há ex-presidentes, senadores, deputados, ex-ministros e até um ex-ministro do Supremo Tribunal Federal. 

Aldo Rebelo - Solidariedade
O partido Solidariedade lançou nesta segunda-feira (16), na capital paulista, a pré-candidatura do ex-ministro e ex-presidente da Câmara dos Deputados, Aldo Rebelo, à Presidência da República. “O Solidariedade é uma legenda que tem identidade com meu pensamento, minha trajetória, meus valores e com as perspectivas que eu tenho”, disse Aldo Rebelo.
Segundo ele, sua candidatura pretende buscar a união nacional em torno dos grandes interesses do país. Aldo destacou que vê como necessária a junção das forças políticas da direita e esquerda em prol do Brasil.  “Desde que os objetivos sejam comuns: a retomada do crescimento da economia, o desenvolvimento do país, a redução das desigualdades e a valorização da democracia, pois sem isso não há solução para nenhum dos impasses que o Brasil vive no momento”, disse.
Alagoano, Aldo Rebelo iniciou sua trajetória política em movimentos contra a ditadura militar e no movimento estudantil dos anos 80. Foi deputado federal por seis mandatos consecutivos, chegando a presidir a Câmara dos Deputados entre 2005 e 2007. Foi também ministro nas áreas de Ciência e Tecnologia, Esporte e Defesa.

Álvaro Dias - Podemos
O senador Álvaro Dias será o candidato do Podemos. Eleito senador em 2014, pelo PSDB, Álvaro Dias migrou para o PV e, em julho do ano passado, buscou o Podemos, antigo PTN. Com a candidatura do senador, a legenda quer imprimir a bandeira da renovação da política e da participação direta do povo nas decisões do país por meio de plataformas digitais.
“Nós temos que rediscutir a representação parlamentar. Não somos senadores demais, deputados e vereadores demais? Está na hora de reduzirmos o tamanho do Legislativo no país, tornando-o mais enxuto, econômico, ágil e competente”, afirmou Dias, em entrevista concedida esta semana no Congresso Nacional.
O político, de 73 anos, está no quarto mandato de senador. De 1987 a 1991, foi governador do Paraná, à época pelo PMDB. Na década de 1970, foi deputado federal por três legislaturas e, antes, foi vereador de Londrina (PR) e deputado estadual no Paraná. Álvaro Dias é formado em História.

Ciro Gomes - PDT
Pela terceira vez concorrendo ao posto mais alto do Executivo, o ex-governador do Ceará Ciro Gomes vai representar o PDT na disputa presidencial. Ao anunciar o seu nome como pré-candidato na última quinta-feira (8), o pedetista adotou um discurso contra as desigualdades e propondo um “projeto de desenvolvimento” para o país.
“Não dá para falar sério em educação que emancipe, não dá para falar sério em segurança que proteja e restaure a paz da família brasileira sem ter compromisso sério para dizer de onde vem o dinheiro”, disse, no ato de lançamento da pré-candidatura.
Ciro Ferreira Gomes tem 60 anos e é formado em Direito. Ele foi governador do Ceará por dois mandatos, ministro da Fazenda no governo de Itamar Franco e da Integração Nacional no primeiro mandato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Antes, ocupou a prefeitura de Fortaleza e o cargo de deputado estadual. Em 1998 e 2002, ele foi candidato à Presidência, tendo ficado em terceiro e quarto colocado, respectivamente.

Fernando Collor - PTC
O senador e ex-presidente da República Fernando Collor vai concorrer pelo PTC. Ele foi presidente da República entre 1990 e 1992, quando sofreu impeachment e foi substituído pelo então vice-presidente Itamar Franco. Foi o primeiro presidente a ser eleito pelo voto direto após o regime militar (1964-1985).
Depois de ter os direitos políticos cassados, ele se candidatou ao Senado em 2006, tendo sido eleito, e reconduzido ao cargo em 2014. Antes de ocupar a Presidência, o jornalista e bacharel em Ciências Econômicas, formado pela Universidade Federal de Alagoas, foi governador de Alagoas (1986) e deputado federal (1982).
Em discurso em fevereiro na tribuna do Senado, Fernando Collor de Mello disse que sua pré-candidatura é a retomada de uma missão pelo país. E afirmou que pretende alavancar novamente o país, mediante um novo acordo com a sociedade. “Isso só será possível com planejamento e com sólido programa social que seja tecnicamente recomendável, politicamente viável e socialmente aceito”, destacou.

Flávio Rocha - PRB
O empresário Flávio Rocha é o pré-candidato pelo PRB, legenda ao qual se filiou em março. 
Pernambucano, Flávio Gurgel Rocha exerce atualmente a função de CEO do Grupo Guararapes, um dos maiores grupos empresariais do país. “Nós temos sim a responsabilidade de colocar o Brasil nos trilhos da prosperidade. Essa prosperidade é resultado de liberdade econômica e política. É para isso que estou de casa nova, no PRB", disse Rocha no dia do lançamento da pré-candidatura.
Já foi eleito deputado federal por duas vezes (1987-1990/1991-1994) e membro da Assembleia Nacional Constituinte. Foi um dos fundadores do IDV (Instituto de Desenvolvimento do Varejo). Ele é casado e pai de quatro filhos.

Geraldo Alckmin - PSDB
Após a desistência de outros quadros da sigla, o PSDB oficializou, no último dia 20, a pré-candidatura do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin. Esta será a segunda vez que ele disputará a vaga. Em dezembro do ano passado, em uma movimentação para unir os demais quadros tucanos em torno de sua candidatura, Alckmin foi eleito presidente nacional do PSDB.
Na entrevista coletiva em que anunciou a pré-candidatura, Alckmin afirmou que irá destravar a economia e colocou como prioridades a desburocratização, uma reforma tributária, retomar a agenda da reforma da Previdência e reduzir os juros.
Geraldo Alckmin tem 65 anos, é formado em medicina e é um quadro histórico do PSDB em São Paulo. Ele começou a carreira como vereador em Pindamonhangaba, no interior do estado. Foi prefeito da cidade, deputado estadual e deputado federal na Assembleia Nacional Constituinte. Vice-governador de 1995 a 2001, ele assumiu a administração paulista após a morte de Mário Covas, sendo reeleito em 2002. Disputou o Planalto em 2006, quando foi derrotado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no 2º turno. Eleito em 2010 para mais um mandato à frente do governo de São Paulo, Alckmin foi reeleito em 2014.

Guilherme Boulos - PSOL
Depois de uma consulta interna que contou com outros três nomes, o PSOL decidiu lançar a pré-candidatura de Guilherme Boulos, líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), após ele se filiar à sigla no início do mês de março. Repetindo a estratégia das últimas eleições de apresentar uma opção mais à esquerda que os demais partidos, o PSOL participará com candidato próprio à corrida presidencial, que em 2010 e 2014 teve os nomes de Plínio de Arruda Sampaio e Luciana Genro na disputa.
Segundo Boulos, é preciso levar a indignação dos cidadãos para dentro da política. Como bandeiras de campanha, ele elencou o combate aos privilégios do “andar de cima” da economia e a promoção de plebiscitos e referendos de consulta à população sobre temas fundamentais. “Nós queremos disputar o projeto de país. Não teremos uma candidatura apenas para demarcar espaço dentro da esquerda brasileira. Vamos apresentar uma alternativa real de projeto para o Brasil”, afirmou.
Um dos líderes do movimento pelo direito à moradia no Brasil, Boulos ficou conhecido nacionalmente após as mobilizações contra a realização da Copa do Mundo no país, em 2014. Como liderança do MTST, ele organizou a ocupação de áreas urbanas, em especial no estado de São Paulo. Formado em Filosofia e Psicologia, Boulos tem 35 anos.

Jair Bolsonaro - PSL
Deputado federal na sétima legislatura, Bolsonaro se filiou ao PSL na última quarta-feira (7). Considerado polêmico por suas bandeiras, Jair Bolsonaro defende a ampliação do acesso a armas e um Estado cristão, além de criticar modelos de família, segundo ele, "não tradicionais”, como casamento homossexual.
“Nós temos propósitos, projeto e tudo para começar a mudar o Brasil. Nós somos de direita, respeitamos a família brasileira. Está na Constituição que o casamento é entre homem e mulher e ponto final.  Esse pessoal é o atraso, uma comprovação de que eles não têm propostas e que a igualdade que eles pregam é na miséria”, afirmou, durante o ato de filiação ao PSL. De acordo com o partido, ainda não há uma data de lançamento oficial da pré-candidatura.
Nascido em Campinas, Jair Messias Bolsonaro tem 62 anos. Ele é formado em Educação Física e militar de carreira. Ele foi para a reserva das Forças Armadas em 1988, após se envolver em atos de indisciplina e ser eleito vereador pelo Rio de Janeiro. Desde 1991, assumiu uma cadeira na Câmara dos Deputados. Foi eleito deputado em 2014 pelo PP, mas migrou para o PSC.

João Amoêdo - Novo
Com 55 anos, João Amoêdo é o candidato pelo partido Novo, que ajudou a fundar. Formado em engenharia e administração de empresas, fez carreira como executivo do mercado financeiro.
Amoêdo foi um dos fundadores do Partido Novo, que teve seu registro homologado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em 2015. A disputa presidencial em 2018 será a primeira experiência política dele.
Entre as principais bandeiras de Amoêdo, assim como do Partido Novo, estão a maior autonomia e liberdade do indivíduo, a redução das áreas de atuação do Estado, a diminuição da carga tributária e a melhoria na qualidade dos serviços essenciais, como saúde, segurança e educação. "É fácil acabar com a desigualdade, basta tornar todo mundo pobre. Ao combater a desigualdade você não está preocupado em criar riqueza e crescer, você só está preocupado em tornar todo mundo igual. O importante é acabar com a pobreza e concentrar na educação básica de qualidade para todos", diz o candidato em sua página oficial na internet.

José Maria Eymael - PSDC
Já o PSDC confirmou no último dia 15 de março a pré-candidatura do seu presidente nacional, José Maria Eymael, que vai concorrer pela quinta vez.
Além de fundador do PSDC, José Maria Eymael é advogado e nasceu em Porto Alegre. Sua trajetória política começou na capital gaúcha, onde foi um dos líderes da Juventude Operária Católica. Em 1962, filiou-se ao Partido Democrata Cristão (PDC) e atuou como líder jovem do partido.
Em 1986, foi eleito deputado federal por São Paulo. Em 1990, conquistou o segundo mandato na Câmara dos Deputados. Como parlamentar federal, Eymael defendeu a manutenção da palavra Deus no preâmbulo da atual Constituição Federal durante a Assembleia Constituinte, considerado um marco em sua trajetória política.

Levy Fidelix - PRTB
Outro candidato recorrente ao pleito é o jornalista e publicitário Levy Fidelix, representando o partido do qual é fundador: PRTB. Abordando temas em defesa da família e dos “bons costumes”, ele buscará aproveitar o momento de insatisfação dos brasileiros com a corrupção para se dizer um candidato “ficha limpa”.
Fidelix concorreu ao cargo nas eleições de 2014, 2010 e de 1994. 
Antes de criar o PRTB, Fidelix participou da fundação do Partido Liberal (PL), em 1986, quando se lançou na carreira política e disputou uma vaga na Câmara dos Deputados pelo estado de São Paulo. Depois, migrou para o Partido Trabalhista Renovador (PTR), quando também concorreu a um mandato de deputado federal, no início dos anos 90. Apresentador de televisão, professor universitário e publicitário, Fidelix já concorreu três vezes à prefeitura da capital paulista e duas vezes ao governo do estado.

Manuela D’Ávila - PCdoB
A deputada estadual do Rio Grande do Sul, Manuela D'Ávila, será a candidata pelo PCdoB. A ex-deputada federal, por dois mandatos, teve a pré-candidatura lançada pelo partido comunista em novembro do ano passado. Esta é a primeira vez que o PCdoB lançará candidato próprio desde a redemocratização de 1988. Um dos motes da campanha será o combate à crise e à “ruptura democrática” que, segundo a legenda, o país vive.
“Trata-se de uma pré-candidatura que tem como algumas de suas linhas programáticas mais gerais a retomada do crescimento econômico e da industrialização; a defesa e ampliação dos direitos do povo, tão atacados pelo atual governo; a reforma do Estado, de forma a torná-lo mais democrático e capaz de induzir o desenvolvimento com distribuição de renda e valorização do trabalho”, escreveu a presidente nacional do partido, Luciana Santos, ao lançar a candidatura de Manuela D'Ávila.
Manuela D'Ávila tem 37 anos e é formada em jornalismo. Ela é filiada ao PCdoB desde 2001, quando ainda era do movimento estudantil. Em 2004, foi eleita a vereadora mais jovem de Porto Alegre. Dois anos depois, se candidatou ao cargo de deputada federal pelo Rio Grande do Sul e se tornou a mais votada do estado. Em 2008 e 2012, disputou a prefeitura da capital gaúcha, mas ficou em terceiro e segundo lugar, respectivamente. Desde 2015, ocupa uma vaga na Assembleia Legislativa do estado.

Marina Silva – Rede Sustentabilidade
A ex-senadora Marina Silva vai disputar a Presidência pela terceira vez consecutiva. Integrante da sigla Rede Sustentabilidade, Marina tem como plataforma a defesa da ética, do meio ambiente e do desenvolvimento sustentável.
Ela é crítica do mecanismo da reeleição, que, segundo ela, se tornou um “atraso” no país. “Sou pré-candidata à Presidência para unir os brasileiros a favor do Brasil. Os governantes precisam fazer o que é melhor para o país e não o que é melhor para se perpetuar no poder. Chega de pensar apenas em interesses pessoais e partidários”, escreveu recentemente em seu perfil do Facebook.
Marina Silva militou ao lado do líder ambientalista Chico Mendes na década de 1980. Filiada ao PT, ela foi eleita vereadora de Rio Branco e deputada estadual, antes de ocupar dois mandatos de senadora representando o Acre. Por cinco anos, foi ministra do Meio Ambiente do governo Lula e se desfiliou do PT um ano após deixar o cargo. Ela foi candidata ao Planalto em 2010 pelo PV e, em 2014, assumiu a candidatura do PSB à Presidência após a morte do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos.

Paulo Rabello de Castro - PSC
Até a semana passada no comando do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), o economista Paulo Rabello de Castro deixou o cargo para confirmar a disposição de disputar à Presidência. Segundo o PSC, embora não tenha promovido um ato de lançamento, a legenda já trabalha com a pré-candidatura como oficial. Desde fevereiro, ele participa de eventos partidários pelo país junto ao presidente da sigla cristã, Pastor Everaldo, que concorreu à Presidência no pleito de 2014.
As principais bandeiras do PSC são contra a descriminalização das drogas e a legalização do aborto. “Temos uma sociedade cujos valores morais estão completamente invertidos. Onde a arma na mão do bandido é uma arma livre, mas a arma na sua mão é proibida. E eventualmente você vai preso por portá-la. Quando o bom comportamento da família é zombado pelas novelas pornográficas e toda pornografia é enaltecida, como preservar a família nacional", disse, durante recente ato.
Doutor em economia pela Universidade de Chicago, Paulo Rabello de Castro foi fundador da primeira empresa brasileira de classificação de riscos de crédito, a SR Rating, criada em 1993. Autor de livros sobre a economia e a agricultura brasileiras, o pré-candidato foi presidente do Lide Economia, grupo de empresários que têm em comum a defesa da livre iniciativa. Ele também coordenou o movimento Brasil Eficiente. Em 2016, foi indicado para a presidência do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e comandou a instituição de pesquisa por onze meses, até assumir a presidência do BNDES, em maio do ano passado.

Rodrigo Maia - DEM
Presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (RJ) é o pré-candidato pelo DEM. Maia tem buscado ser uma alternativa de centro e, em suas próprias palavras, “sem radicalismos”. Ele assumiu o comando da Câmara após a queda de Eduardo Cunha (MDB-RJ), preso pela Operação Lava Jato, e ganhou mais protagonismo político pelo cargo que ocupa, já que é o responsável por definir a pauta de projetos importantes, como a reforma da Previdência.
Segundo ele, a pauta da Câmara não será prejudicada devido à sua candidatura ao Planalto. “A gente tem responsabilidade com o Brasil, já deu demonstrações disso. O projeto político do DEM é legítimo e é feito em outro momento e local, não tem problema nenhum disso”, afirmou.
Filho do ex-prefeito do Rio, César Maia, o político está no quinto mandato como deputado federal. Em 2007, assumiu a presidência nacional do DEM, após a reformulação do antigo PFL. Rodrigo Maia ingressou, mas não chegou a concluir o curso de Economia. Foi secretário de Governo do município do Rio de Janeiro no final da década de 1990, na gestão de Luiz Paulo Conde, que à época era aliado de César Maia.

Vera Lúcia - PSTU
O PSTU, que nas últimas vezes concorreu com o candidato José Maria de Almeida (Zé Maria), lançará uma chapa tendo a sindicalista Vera Lúcia como candidata à Presidência. 
Vera Lúcia, 50 anos, foi militante no PT e integrante do grupo fundador do PSTU.
O vice na chapa é Hertz Dias, 47 anos, militante do movimento negro.

MDB
Com a promessa de, pela primeira vez depois de 24 anos, apresentar ao país um candidato à Presidência da República, o MDB ainda não definiu oficialmente como formará a chapa para a disputa. Nesta semana, o ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles se filiou à sigla.
No entanto, ao deixar o comando do Ministério da Fazenda na sexta-feira (6), Meirelles não informou a qual cargo pretende concorrer. Mas é cogitado como opção ao lado do presidente Michel Temer.
O presidente Michel Temer não descartou a possibilidade de concorrer à reeleição. Nos últimos meses, o partido tem feito movimentos de resgate à história da legenda, que tem mais de 50 anos. Foi com esse intuito que mudou a sigla de PMDB para MDB. A decisão sobre a candidatura, porém, ainda não está tomada.

PSB
Após a morte do ex-ministro e então presidente nacional do partido, Eduardo Campos, em plena campanha eleitoral de 2014, o PSB passou por dificuldades de identificação e falta de lideranças nos últimos anos. Nessa sexta-feira (6), porém, a sigla recebeu a filiação do ex-ministro do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, e tem nele a grande aposta de participar do pleito deste ano.
Como membro da Suprema Corte de 2003 a 2014, Joaquim Barbosa ganhou notoriedade durante o período em que foi relator do processo do mensalão, que pocondenou líticos de diversos partidos pela compra de apoio parlamentar nos primeiros anos de governo do PT. Antes, foi membro do Ministério Público Federal, funcionário do Ministério da Saúde e do Itamaraty.
De acordo com o líder do PSB na Câmara, deputado Júlio Delgado (MG), que tem participado das conversas com Barbosa, o nome dele fica eleitoralmente viabilizado, embora ainda seja necessário construir sua candidatura por todo o Brasil. “Ao se filiar, até pela viabilidade que já mostra, eu acho que o nome dele já fica irreversível. Acho que ele é o candidato capaz de unir o Brasil, tranquilizar, trazer a decência necessária contra essa divisão de lados [que o país vive]”, disse à Agência Brasil.

PT
Depois de ganhar as últimas quatro eleições, o PT anunciou a pré-candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, mas dificilmente conseguirá lançá-lo à disputa. Lula foi preso nesse sábado (7) para cumprimento da pena de 12 anos e 1 mês de prisão.
Ele foi condenado pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) a 12 anos e um mês de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Embora o cenário seja desfavorável, aliados defendem que Lula recorra ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em busca de uma autorização para se candidatar, já que a Lei da Ficha Limpa prevê a impugnação das candidaturas de políticos condenados em segundo grau da Justiça.
Outros nomes cotados dentro do partido são do ex-governador da Bahia Jaques Wagner e o do ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, além de optar por apoiar a candidatura de outro partido da esquerda.

Prazos
De acordo com a legislação, os partidos políticos devem promover convenções nacionais com seus filiados entre 20 de julho e 5 de agosto para que oficializem as candidaturas. A data final para registro das candidaturas pelos partidos políticos na  Justiça Eleitoral é 15 de agosto.

domingo, 15 de abril de 2018

Artigo de Paulo Afonso Linhares

A OMISSÃO DE TEMER  

Paulo Afonso Linhares


O julgamento de habeas corpus impetrado em favor do ex-presidente Lula, denegado  pelo placar mínimo de um voto, propiciou a prisão do líder petista precedida de uma tensa permanência deste, por dois dias, na sede do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC paulista onde, aliás, o começo desse que tem sido um dos mais relevantes fenômenos políticos da história republicana, que foi a criação do Partido dos Trabalhadores e a ascensão política de um torneiro mecânico que terminou eleito presidente da República e, neste momento, ocupa uma pequena cela de 15 metros quadrados em cumprimento de pena por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. 
Esse episódio que vai da decisão do STF e consequente prisão de Lula produziu, no Brasil e alhures, uma montanha de artigos e reportagens com os mais díspares e variados enfoques, numa explosão de paixões e ressentimentos. Enfim, para o bem ou para o mal  tudo foi dito e escrito, de reles desaforos e xingamentos vulgares a belas peças literárias. 
No entanto, em toda essa torrente de opiniões que tem passado através dos diversos espaços midiáticos, sejam veículos da imprensa tradicional ou nas redes sociais, algo estranhamente não mereceu maior atenção: o efetivo papel de presidente Michel Temer na decisão do STF que selou, ao menos por enquanto, a sorte do presidente Lula, negando a habeas corpus preventivo que evitaria a prisão deste, cuja condenação penal fora mantida por órgão judicial de segundo grau.
Ora, a lógica mais elementar mandaria  que Temer lançasse mão de sua influência - talvez restrita a apenas um dos ministros da Corte, Alexandre de Morais, ex-auxiliar por ele nomeado, porém, que seria suficiente para concessão da ordem - não propriamente em favor de Lula, mas, para consolidar, na Corte Suprema, a jurisprudência que reconhece o aprisionamento de pessoa após condenação penal mantida na segunda instância como franca agressão ao princípio da presunção da inocência expressamente previsto no artigo 5º, inciso LVII, da Constituição Federal, pelo qual "ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória". 
Ressalte-se que, se não existisse tal princípio chantado na Constituição da República, ainda assim o Brasil deveria observar a regra de que a prisão de uma pessoa somente deve ocorrer com o chamado trânsito em julgado das sentenças penais condenatórias, ou seja,  quando esgotadas todas as possibilidade de defesa, inclusive, aquelas veiculadas via recursal. E por quê? Porque é signatário de dois importantes pactos multilaterais, cujas disposições por isso, fazem parte da ordem constitucional, por força dos parágrafos 2° e 3° do artigo 5° da Constituição Federal: A Declaração Universal dos Direitos Humanos, de 1948, artigo XI,1 (“Toda pessoa acusada de um ato delituoso tem o direito de ser presumida inocente até que a sua culpabilidade tenha sido provada de acordo com a lei, em julgamento público no qual lhe tenham sido asseguradas todas as garantias necessárias à sua defesa”); e a Convenção Americana Sobre os Direitos Humanos, também conhecida como Pacto de San José da Costa Rica, artigo 8º, 2, (“Toda pessoa acusada de delito tem direito a que se presuma sua inocência enquanto não se comprove legalmente sua culpa”). Simples assim.
O dr. Temer fez de conta que nada tinha a ver com a decisão do STF no caso Lula. Ora, todos os seus amigos mais próximos ou estão presos (preventivamente) ou respondem a processos por corrupção e outros crimes conexos, ademais de constituírem aquilo que a crônica política e policial chama de “quadrilhão do Temer”. Ele próprio figura em vários inquéritos que, por força do seu cargo de presidente, estão paralisados à míngua de autorização da Câmara dos Deputados, porém, terão prosseguimento a partir de janeiro de 2018 quando, atida evidência, deixará de ser inquilino do Palácio do Planalto. 
Assim, a despeito de ser um experiente e atilado animal político, Michel Temer parece não perceber que inelutavelmente é vítima do tal “efeito Orloff”: ele poderá ser Lula a partir de janeiro de 2018. Isto será a realização daquele vaticínio popular que se traduz “na volta do ‘cipó’ de aroeira no lombo de quem mandou bater”, ou deixou que batessem. Isto sem levar em conta de que grande parte da bandalheira que grassou nos governos petistas de Lula e Dilma pode ser colocada na conta de Temer e seus correligionários peemedebistas, estes que sempre ficaram com boa parte da pilhagem dos dinheiros públicos empreendida, nas últimas décadas, por políticos, empresários e altos executivos de empresas estatais, e que resultou nessa ‘lavagem a jato’ a qual, sob o pretexto de combater a corrupção, empurra o Brasil ladeira abaixo no rumo do retrocesso político-institucional em que direitos e garantias fundamentais do cidadão, de berço constitucional, passam a ser olimpicamente desrespeitados.
No mínimo, deveria desejar melhor sorte ao líder petista, por um gesto de solidariedade daqueles que até bandidos e mafiosos são capazes de expressar. De lembrar que, aos omissos, o poeta Dante reservou os lugares mais quentes do Inferno. Também, não deve ser olvidada, quanto aos que se omitem, aos que vestem a capa da indiferença, aquela severa advertência contida numa das célebres passagens do Apocalipse de São João: "Eu conheço as tuas ações e as tuas obras, que nem és frio nem quente. Quem dera que foras um ou outro, frio ou quente! Assim, porque és morno e nem és frio nem quente, te vomitarei da Minha boca!... sê pois zeloso e arrepende-te!" (Apocalipse 3:15,16,19). Indiferente, omisso, nem frio nem quente, o morno Temer logo será vomitado da boca do poder e o cutelo do ímpio Barroso irá ao seu encontro, mas, essa será outra história.

Trabalhadores em educação de SGA - Aviso urgente!

Abaixo, em letras azuis, aviso urgente do SINTE aos trabalhadores em educação no município de São Gonçalo do Amarante.

Agenda de GREVE
Atenção trabalhadores em educação de SGA. 
Convocamos todas e todos para: segunda (16) às 14h - audiência com Secretaria de Educação Municipal de SGA.
Na terça (17) às 9h, audiência com Ministério Público.
Na quarta (18) às 9h no Clube dos Correios - Assembleia Geral de GREVE, para avaliarmos os próximos passos da LUTA. 
Avante Companheiros (as)! 

sexta-feira, 13 de abril de 2018

SBB apresenta a Nova Almeida Atualizada (NAA), Veja vídeo!

Ivanildo propõe avenida beneficiando o Jardim Lola via Coteminas


Natal precisa de um novo Pedro Lucena

Houve um tempo que o dr. Pedro Lucena era a última esperança dos pobres de Natal que adoeciam e não tinham condições físicas e/ou materiais para ir a um posto de saúde ou mesmo a um hospital.
Hoje, o dr. Pedro já não tem condições de fazer o trabalho que o colocou no coração dos mais necessitados.
Ele saía de casa em casa - todos os dias - e, aqui e acolá era recebido como um verdadeiro enviado de Deus.
- Só pode ter sido Deus que o trouxe até aqui, dr. Pedro. 
O bom médico fazia a consulta, dava o remédio e ficava visitando o necessitado enquanto fosse preciso.
Caso houvesse necessidade de internação - dava todas as indicações.
Tá na hora de outro médico suceder o dr. Pedro nessa atividade - na verdade, a plenitude de um verdadeira atitude cristã.

quinta-feira, 12 de abril de 2018

Livro de Ivan Maciel sobre Machado de Assis será lançado dia 19

Sheyla de Azevedo
Assessora de Imprensa

Articulista aos sábados do jornal Tribuna do Norte, o professor aposentado de Direito da UFRN e procurador de Justiça, Ivan Maciel de Andrade, 80, contabiliza mais de 700 artigos publicados naquele periódico, dos quais um pedaço significativo falou da obra de Machado de Assis, considerado o “Patrono das Letras” e que ele reúne agora em livro, por insistência de amigos como Woden Madruga e Jarbas Martins.
A obra Machado que eu Li – Editora Caravela Selo Cultural a ser lançada na próxima quinta (19) de abril, às 18h, na ANL, contem 110 artigos e, segundo o autor, que ocupa a cadeira número 17 – antes, assento do amigo falecido Aluízio Alves – é um livro que “foge dos jargões acadêmicos”. Portanto, pode e deve ser lido por qualquer pessoa que tenha interesse em literatura. 
“Esse livro aproxima Machado do leitor”, diz ele, acrescentando que a aparente dificuldade em se ler Machado tem a ver com o fato de que ele era um escritor erudito, com características anglófilas. Mas, passada essa barreira inicial, sua leitura se mantém atual e necessária. “Machado de Assis retratou a história social do Brasil de maneira crítica. Por trás de toda frase de MA tem um sentido, ele problematizava as questões humanas. Era um escritor, de certa forma, trágico”, diz acrescentando que os temas fundamentais da obra do escritor em questão eram o ciúme e a alma feminina.
Leitor voraz a vida inteira. Dedicou-se aos contos, crônicas e críticas não só de Machado de Assis, como também de obras de autores como (Fiódor) Dostoiévski (1821-1881), (Liev) Tolstói, (Marcel) Proust, (Anton) Tchekhov, Jorge Luis Borges, dentre muitos outros.
Maciel acredita que é o primeiro livro escrito nesse formato sobre a obra de Machado de Assis. Conhecedor também do que foi escrito sobre Machado por grandes nomes como Astrojildo Pereira e Roberto Schwarz é possível que o Rio Grande do Norte inaugure através de Maciel de Andrade um espaço na crítica à obra machadiana, que sai dos rincões acadêmicos, passeia pelas páginas efêmeras de um jornal e se assenta, finalmente, em livro.
SERVIÇO

“Machado que eu Li” – Ivan Maciel de Andrade - Lançamento de livro

Dia: 19 de abril, às 18h

Local: Academia Norte Riograndense de Letras,  Rua Mibipu 443, Petrópolis


Preço: R$ 40

Depois de chá de cadeira, professores mantém greve em São Gonçalo

Recebi da professora Jaciguara, do núcleo do SINTE em São Gonçalo, o seguinte relato sobre a audiência que uma representação da direção sindical teve nesta quinta-feira com o prefeito de São Gonçalo, Paulo Emídio (PR):

"Depois de um chá de cadeira de mais de uma hora, o prefeito recebeu os dirigentes do sindicato e representantes da base. 
Diante dos argumentos jurídicos da advogada Juliana, do nosso sindicato, conseguimos avançar no que se refere a retirada ilegal da hora atividade (planejamento do professor). 
Os demais ítens da pauta não foram discutidos devido ao tempo, pois o prefeito tinha outro compromisso. 
Ficou marcado que a audiência continuaria amanhã. 
A assembleia realizada hoje a tarde com os servidores da educação decidiu permanecer em greve, visto que a pauta ainda não foi negociada. 
Teremos outra assembleia na próxima terça, para avaliar a audiência de amanhã e diante do exposto suspender ou não a greve. 
Fica bem claro a falta de vontade do prefeito em resolver os problemas das escolas e a falta de investimentos na educação pública do município. 
Os servidores querem que o prefeito negocie o quanto antes para suspender a greve".

Para saber mais sobre a relação dos professores com a administração municipal e a pauta de reivindicações que a categoria apresentou às autoridades, CLIQUE AQUI.

Revil confirma pré-candidatura a federal para defender geração de emprego

O advogado Revil Alves me confirmou sua pré-candidatura a deputado federal pelo Podemos, acrescentando que, se eleito, dedicará seu mandato à mineração, por considerar essa atividade uma grande geradora de emprego.
Revil encaminhou a foto que ilustra essa nota e na qual aparece ao lado do presidente da Câmara Municipal de Caicó, Odair Diniz, que é o presidente estadual do PSDC e, também, pré-candidato a federal.

Condenação de Lula foi por corrupção e lavagem de dinheiro, lembra Rogério

Escritor evangélico lança livro na Assembleia Legislativa

Será nesta sexta-feira, dia 16, no Espaço Cultural da Assembleia Legislativa do RN, conforme convite abaixo, o lançamento do livro "Adsumus", do escritor evangélico Francisco Antero de Lima.
Começa às 9,30 e cada exemplar custa R$ 50,00.

quarta-feira, 11 de abril de 2018

São Gonçalo: Prefeito promete receber professores amanhã, às 11

O prefeito de São Gonçalo, Paulo Emídio, prometeu receber, amanhã, às 11 horas, em seu gabinete, uma representação do núcleo municipal do SINTE.
Os trabalhadores querem uma resposta da administração sobre a pauta de reivindicações que lhe foi apresentada.
CLIQUE AQUI para saber qual é a pauta.

UFRN anuncia encontro nacional de professores de física no ensino médio

Apesar de a produção científica brasileira ter crescido nos últimos anos, ainda há um longo caminho a ser percorrido pelo País para oferecer uma melhor educação científica aos seus estudantes de primeiro e segundo grau. Um dos grandes desafios do Brasil no século XXI é o de oferecer um sistema educacional que não só atenda toda a população, mas que tenha a capacidade de elevar os indicadores de qualidade do ensino, em especial na formação em ciência dos alunos do Ensino Médio.

Discutir e repensar as ferramentas e técnicas utilizadas pelos professores em sala de aula é uma parte fundamental nessa questão. A fim de contribuir para o alcance de respostas nesse tema o Instituto Internacional de Física (IIF), da UFRN, realizará entre os dias 9 e 13 de julho o workshop Desafios para Educação em Física no Ensino Médio, voltado para docentes das escolas de nível médio de todo o país e que contará com a participação de renomados especialistas em Física e Educação para Ciência, tanto do Brasil como do exterior.

Entre os temas que serão abordados estão: Educação a distância, Vídeos e interação, Educação extracurricular, Ensino da matemática e ensino da Física de fronteira. O evento contará ainda com uma oficina sobre Experimentação em Física, especificamente desenvolvida para professores do Ensino Médio.

Os interessados podem inscrever-se através do site do IIF, onde mais informações sobre a lista de palestrantes, taxas e os tópicos de discussão estão disponíveis. Dúvidas poderão ser solucionadas através do setor de eventos do IIF-UFRN, pelo e-mail events@iip.ufrn.br ou pelo telefone (84) 3342-2249.
Nota distribuída pela AGECOM..

Professores aguardam resposta do prefeito de São Gonçalo

Professores de São Gonçalo estão aguardando uma resposta do prefeito Paulinho Calado ao pedido de audiência que lhe fizeram hoje, quando o abordaram na via pública, em Santo Antônio do Potengi, com o objetivo de saberem qual a sua posição no tocante a pauta de reivindicações da categoria que se encontra em greve há quase um mês.
O prefeito prometeu que daria uma resposta até o final da tarde desta quarta-feira.
Segundo os professores, essa pauta vem sendo reivindicada desde o governo Jaime Calado "e vem aumentando a cada dia com a falta de investimento nas escolas e na valorização dos trabalhadores em educação".
Fotos e informações fornecidas por professores.


Pauta de reivindicações

1- Falta de manutenção, estrutura e material de expediente nas escolas;
2- Fardamento dos alunos;
3- Retirada da hora atividade (planejamento do professor) garantido pela LDB;
4- Perda salarial dos professores;
5- Reajuste dos agentes administrativos (salário congelado há três anos);
6- Transporte escolar de qualidade;
7- Atualização da tabela salarial do servidores de apoio e insalubridade;
8- Licença prêmio;
9- Gestão democrática nas escolas;

10- Contribuição da Escola Dom Joaquim

Portugal consegue um alento para pacientes de Parkinson

A notícia está no portal Diário de Notícias, de Lisboa.
Um paciente que sofria da doença desde 2001, fez cirurgia para implante de dois micro-eletrodos para tratamento por estimulação cerebral profunda.
O paciente focalizado na reportagem em questão, frisa que, depois da operação, feita há dois anos, sua relação com a doença passa por uma diferença como da noite e do dia:
- Já não tremo, como e faço tudo sozinho, conduzo, lavo e carro, ajudo a minha mulher nas tarefas de casa, e durmo sem problemas.
Segundo a reportagem, dos 20 mil doentes de Parkinson em Portugal, só 5% "são elegíveis para essa intervenção".
Pelo menos dois hospitais portugueses a realizam - o São João, no Porto, desde 2002, e o Santa Maria, desde 2005.
Para ler a reportagem completa, CLIQUE AQUI.

Prisão de Lula aprofunda a devastação nacional - diz Ney Lopes

O advogado, jornalista e ex-deputado Ney Lopes afirmou, em artigo publicado na edição impressa da Tribuna do Norte nesta quarta-feira, que a prisão do ex-presidente Lula "aprofunda a devastação nacional".
Como reflexos dessa devastação, ele enumera: 1) o presidente da República com 90% de rejeição popular; e 2) um Congresso com dezenas de parlamentares investigados por corrupção.
Como se a crise política não bastasse, Ney Lopes ressalta o acentuado clima de violência no Brasil e no mundo.
Os números são alarmantes, pois no Brasil o número de mortes violentas foi maior do que o registrado em países em guerra, como a Síria e o Iraque.
É o Brasil quem "ostenta o galardão de ser o país que mais mata no século XXI".
Diante desse quadro, Ney chama a atenção para a responsabilidade do cidadão-eleitor:
- Do seu julgamento livre, dependerá o futuro da Nação.
Para ler o texto integral do artigo, CLIQUE AQUI e acesse o blog de Ney Lopes.